Hoje completo 3 meses na cidade maravilhosa e resolvi fazer um resumo sobre esse período, atendendo a sugestões dos comentários do artigo Proposta de emprego no Rio de Janeiro, aceitar ou não?. Agora, mostrarei alguns pontos para quem deseja mudar para cá. Vale lembrar que apenas mudando de bairro no RJ, você poderá ter uma percepção bem diferente da minha. Sendo assim, vou apresentar alguns pontos que me ajudaram a ter uma adaptação mais fácil nesta cidade.

Mudança de emprego

Normalmente o simples fato de mudar de emprego já é uma situação complicada. Imagina fazer isso morando em outra cidade, sem conhecer ninguém e sem parentes por perto? É um desafio bem complicado, mas motivador. Ainda tive um pouco de sorte, pois conheci algumas pessoas do Rio de Janeiro, via twitter, linkedin, facebook, que ajudaram muito, antes de desembarcar por aqui.

Decida entre VIVER ou MORAR no Rio de Janeiro

Mas que diferença isso tem? Procure conhecer os lugares interessantes para se divertir, procure olhar o lado bom da cidade. Antes eu tinha em mente que o RJ era só favelas, pobreza, tráfico, prostituição, trânsito… Tem tudo isso é verdade, mas descobri, e venho descobrindo, coisas muito legais por aqui. É bem interessante o maior contato com a natureza que se tem por aqui, já vi capivara, sagui, préa, gambá e timbu, simplesmente passeando pela rua. Ir a lugares como Leblon, Ipanema e a Lagoa Rodrigo de Freitas é curtir a vida naquilo que ela tem para oferecer de melhor. Você também pode pedalar pela zona sul da cidade, basta alugar bicicletas através do site mobilicidade. Busque viver o Rio e não apenas morar por aqui.

Procure ter uma boa localização geográfica da cidade

O Rio de Janeiro é uma cidade gigante, porém achei bem fácil conseguir chegar aos principais pontos da cidade. Procurei desde inicio, ter um bom referencial de onde ficam os principais bairros da cidade, como chegar ao metrô, principais shoppings, supermercado e hospitais. Em pouco tempo, já sabia até explicar onde era um determinado lugar, no meu bairro, quando alguém me perguntava na rua. Hoje está bem mais fácil pois o Google Street View já funciona em muitos bairros da cidade.

Local para morar

Esse foi um problema mais difícil de resolver. No conteúdo e nos comentários do artigo Proposta de emprego no Rio de Janeiro, aceitar ou não? acabei falando um pouco sobre esse assunto. É bom definir o que é um lugar bom, na sua visão, para morar, cada pessoa tem uma referência para isso. A partir de R$ 1000 reais você pode achar um apartamento em Jacarepaguá. Veja no site Casa em casa para você ter uma ideia melhor sobre os valores.

Cultura Nacional

Essa cidade possibilita uma interação muito bacana com pessoas de todos cantos do país. Frequentemente isso pode lhe trazer situações inusitadas, mas são importantes para sua experiência de vida. Acho que isso traz pontos positivos e negativos. Um ponto negativo é quase sempre ir ao supermercado e você não ganhar um “obrigado” ao final das compras, por exemplo. Muitos brincam, chamando isso de padrão rio de atendimento ao cliente, é bem comum ser mal atendido por aqui. Por outro lado, em termos de diversão, é bem legal, a galera é bem festeira, já fui até em festas no meio da semana em casas de colega de trabalho, coisa que nunca tinha feito em Recife.

Lazer

Comparar as opções de lazer do Rio de Janeiro com relação ao Recife é humilhação, e nem conheço tantos lugares ainda. Acabei ainda deixando de lado visitar pontos como o Cristo Redentor e o Pão de açúcar, tenho até interesse de ir no segundo, já o primeiro pode esperar um pouco.

Sobre alguns bairros/lugares que conheci

Copacabana: bem voltado ao turistas. Achei muitas semelhanças com o bairro de Boa viagem, no Recife, inclusive o fato que não se pode vacilar com a câmera fotográfica.

Feira de São Cristóvão: é uma feira de tradições nordestinas. Há muito coisa do nordeste:  rapadura, artesanato, forró, carne de sol, guaraná jesus e até bolacha maragogi \o/. É um espaço grande, como uma junção de um Mercado de São José com uma Feirinha de Boa Viagem (ambos exemplos são no Recife). Porém achei qualidade do artesanato fraco.

Quinta da Boa Vista: Lugar bem bonito, mas não me pareceu um lugar calmo para passear, achei que merecia mais atenção da prefeitura quanto a segurança. Acho que não conheci como deveria, voltarei lá em breve.

São Conrado: É um dos bairros mais chiques da cidade. Nele acredito que se tenha as maiores desigualdades sociais do RJ, isso é claramente visto quando se passa próximo a favela da rocinha. Não fará falta visita-lo, caso venha a passeio.

Lagoa Rodrigo de Freitas: Lugar perfeito para passear, para quem tem filhos uma opção melhor ainda. Lá possui uma vista fantástica da cidade, pista de cooper, quadras, restaurantes, parque dos patins. Alugue uma bicicleta e dê uma volta completa na lagoa.

Jacarepaguá: É um bairro bem grande e uma boa opção para quem trabalha na Zona Oeste e busca uma moradia mais barata que a Barra da Tijuca e o Recreio dos Bandeirantes. Apesar da proximidade com a Barra e o Recreio, o transito não é tão amigável nos horários de pico.

Leblon: O bairro mais legal que achei foi, sem dúvida, o Leblon. Bem tranquilo para passear, há opção de alugar bicicletas, restaurantes legais e o melhor pode se conhecer muitas coisas sem precisar de carro.

Barra da Tijuca: Lugar que moro, e logo o que conheço melhor, é um bairro gigante, feito para quem tem carro, há poucas ruas. Foi feita pelo mesmo urbanista idiota que projetou Brasília, dai você já pode concluir que é um bairro que privilegia somente os automóveis e esquece dos pedestres. Tem uma a infra estrutura de transporte deficiente, não há metrô. Há um grande endeusamento pelo american way of life. Apesar dos problemas é um bairro relativamente seguro, muito bom para quem curte baladas, restaurantes e praias. Também se tem um grande contato com a natureza.

Concluindo…

Enfim, se tiver disposto a se aventurar em uma cidade grande, ir ao Rio pode ser uma boa opção. Não tema o preconceito, chegue e aos poucos vá mostrando seu valor de mercado, ética, disposição para buscar melhorias, e também uma característica quem valorizo muito num profissional: A capacidade para desempenhar um trabalho colaborativo, em prol do compartilhamento de conhecimento, dessa forma você só tem a ganhar.